30 abril 2011

O Auto-Retrato

No retrato que me faço
- traço a traço -
às vezes me pinto nuvem,
às vezes me pinto árvore...
às vezes me pinto coisas
de que nem há mais lembrança...
ou coisas que não existem
mas que um dia existirão...
e, desta lida, em que busco
- pouco a pouco
-minha eterna semelhança,
no final, que restará?
Um desenho de criança...
Corrigido por um louco!

(Mário Quintana)

7 comentários:

Malu disse...

Sempre leves e ao mesmo tempo tão intensas as poesias deste homem que foi sempre um menino - DOCE QUINTANA!!!
Sempre faço citações dele em minhas páginas.
Adoro!!!
Beijinhos, menina

Malu Muniz disse...

Pura Arte! Pura Poesia!!
Valeu Josy!
Bjos no seu coração, e um Bom fim de semana!

Principe Encantado disse...

Amiga Josy o nome é representatividade dos escritos mais belos e inteligentes que conheço, sou admirador do Mário Quintana. Parabéns pelos post.
Abraços forte

Beth Muniz disse...

Oi querida,
Sem palavras...
Apenas compartilhar.
Beijão.
Bom final de semana.

Fábio Siebra disse...

Josy

Mário Quintana é espetacular.
Nesse poema o poeta quer se revelar ao mundo mais ainda está preso em alguns pensamentos.

Um Abraço

Leh disse...

Amiga Josy,
de uma sensibilidade incrível, impossível não gostar de qualquer texto de Quintana.
Simplesmente lindo!
Beijos

ROSA LUNA disse...

Quintana é tudo de bom...amo a maior parte de seus poemas, prefiro Neruda, Cecília, mas, esse é tão simples e verdadeiro...

Postar um comentário