28 fevereiro 2010

Vinte e Cinco Reais

Um homem chegou em casa tarde do trabalho, cansado e irritado encontrou o seu filho de 6 anos esperando por ele na porta

- "pai, posso fazer-lhe uma pergunta?" - "o que é?" - respondeu o homem.. - "pai, quanto você ganha em uma hora?" - "isso não é da sua conta. Porque você está perguntando uma coisa dessas?",

O homem disse agressivo.

-  "eu só quero saber. Por favor me diga, quanto você ganha em uma hora?"

- "se você quer saber, eu ganho cinquenta reais por hora."

- "ahh..." o menino respondeu, com sua cabeça para baixo. - "pai, pode me emprestar R$ 25,00?" o pai estava furioso, "- essa é a única razão pela qual você me perguntou isso? Pensa que é assim que você pode conseguir algum dinheiro para comprar um brinquedo ou algum outro coisa sem importância?

Vá direto para o seu quarto e vá para a cama. Pense sobre o quanto você está sendo egoísta. Eu não trabalho duramente todos os dias para tais infantilidades."

O menino foi calado para o seu quarto e fechou a porta. O homem sentou e começou a ficar ainda mais nervoso sobre as questões do menino. Como ele ousa fazer essas perguntas só para ganhar algum dinheiro?

Após cerca de uma hora, o homem tinha se acalmado e começou a pensar. Talvez houvesse algo que ele realmente precisava comprar com esses R$ 25,00

Porque ele realmente nunca lhe pedia dinheiro não tinha esse costume. O homem foi para a porta do quarto do menino e abriu-a. - "você está dormindo, meu filho?", ele perguntou. "não pai, estou acordado", respondeu o menino.

- "eu estive pensando, talvez eu tenha sido muito duro com você há pouco...", afirmou o homem. "tive um longo dia e acabei descarregando em você. Aqui estão os R$ 25 que você me pediu."

O menino se levantou sorrindo. "oh, obrigado pai!" gritou. Então, suspendendo seu colchão com alguma dificuldade ele tirou de lá alguns trocados amassados. O homem viu que o menino já tinha algum dinheiro, e começou a s e enfurecer novamente.

O menino lentamente contou o seu dinheiro , em seguida olhou para seu pai. - "por que você quer mais dinheiro se você já tinha?" - gruniu o pai.

- "porque eu não tinha o suficiente, mas agora eu tenho", respondeu o menino.

- "papai, agora eu tenho os cinquenta reais posso comprar uma hora do seu tempo... Por favor, chegue mais cedo amanhã em casa. Eu gostaria de jantar com você." o pai ficou mudo. Abraçou seu filho, e pediu perdão.

É apenas uma pequena lembrança a todos vocês que trabalham arduamente na vida. Não devemos deixar escorregar através dos nossos dedos o tempo sem ter passado algum desse tempo com aqueles que realmente importam para nós.

Se morrermos amanhã a empresa para a qual estamos trabalhando poderá facilmente substituir-nos em uma questão de horas. Mas a família e amigos que deixamos para trás irão sentir essa perda para o resto de suas vida!

Pense nisso com carinho!!!

As imagens, textos e poemas deste post., estão hospedados na própria Internet. Caso alguém sinta- se lesado pela não citação da autoria, basta fazer contato que daremos os créditos ou tiramos a postagem do ar. Desde já, agradecemos à compreensão e colaboração de todos. Obrigada.

8 comentários:

joana disse...

Josy
Que historia linda! No nosso dia a dia só pensamos no trabalho,na ganancia de termos muito mais do que os outros,e esquecemos que o mais importante já temos:os nossos filhinhos.

Familia!: É o nosso maior bem!...

beijnhos
joana

Fernandez disse...

Linda historinha amiga Josy!
Serve para refletirmos mais sobre nosso tempo com os filhos. Adorei!
Grande abraço, Fernandez.

Fernando Monção disse...

É sabe Josy, é uma preocupação qu temos que estar atentos o tempo odo, sabemos que mesmo atentos as vezes deixamos a desejar.
Temos que vijiar todo dia mesmo.
Principalmente nós aqui da blogsfera...isso nos toma muito tempo e nem percebemos, não é?
Queida, muito obrigado pelo alerta.
Deus te abençoe,
seu compadre.

arte-e-manhas-arte disse...

Olá Josy!

Muito bom o teu alerta! A vida que levamos deixa cada vez mais lacunas no relacionamento com os que amamos.

Beijos
Luísa

Edson Cacimiro disse...

A mais pura verdade!

Beth Muniz disse...

É minha amiga, tenho refletido muito sobre isto nos útimos tempos e cheguei a conclusão que o que vale mesmo nesta vida, são as pessoas que realmentes conquistamos.Elas são os nossos tesouros. Por isto tenho lido o Pequeno Príncipe com maais frequência.
Grande Josi.
Forte abraço.

Rosana Madjarof disse...

Josy,

Eu já conhecia esse texto, mas confesso que me encantei ao poder ler novamente, pois são esses pequenos detalhes que transformam as nossas vidas. Muitas vezes não valorizamos o que, na realidade, deveríamos valorizar, como o amor à família, e a dedicação que deveríamos dar à ela.

Parabéns por tão bela postagem.

Bjs.

Rosana.

Histórias & Estórias disse...

História emocionante.

Muito bom pra revermos nossos valores.

Bjs

Valéria

Postar um comentário