26 janeiro 2011

Excelente e Pertinente

Ao transitar pelos corredores do Tribunal, o advogado (e professor) foi chamado por um dos juízes:


- Olhe só o erro ortográfico grosseiro que temos nesta petição. Estampado logo na primeira linha da petição, lê-se: "Esselentíssimo Juiz".

Gargalhando, o magistrado perguntou:

- Por acaso esse advogado foi seu aluno na faculdade?
- Foi sim - reconheceu o mestre. Mas onde está o erro ortográfico a que o senhor se refere?

O juiz pareceu surpreendido:

- Ora, meu caro, você não sabe como se escreve a palavra excelentíssimo?

Então o catedrático explicou:

- Acredito que a expressão pode significar duas coisas diferentes. Se o colega desejava referir-se a excelência dos seus serviços, o erro ortográfico efectivamente é grosseiro. Entretanto, se fazia alusão à morosidade da prestação jurisdicional, o equívoco reside apenas na junção inapropriada de duas palavras.   O certo então seria dizer: "Esse lentíssimo juiz".

Depois disso, aquele magistrado nunca mais aceitou o tratamento de "Excelentíssimo Juiz", sem antes perguntar:

- Devo receber a expressão como extremo de excelência ou como superlativo de lento?



Fonte: Mensagem recebida via e-mail/desconheço o Autor
Imagem: google

7 comentários:

-*Vera Luz*- disse...

Olá Josy!

Há momentos que são notáveis de presença, e quando conquistamos manter essa postura, surpreendemos pelos insights necessários que prontamente prestamos em cada vivencia! Muito bom esse texto!

Um abraço,
"Todo o Conhecimento é Luz que Inspira a Alma" -*Vera Luz*-

Beth Muniz disse...

Data Venia senhor juiz: O colega está coberto de razão!kakakaka
O senhor é lentíssimo até para entender a pérola jurídica do aluno... rs
Josy amiga, muito bom.
Beijão.

LISON COSTA disse...

Saudações!
Amiga Rosy:
KKKKKKKKKKKKK
Essa é absolutamente fantástica!
Valeu a pena conferir!
Parabéns por mais um magnífico Post!
Abraços,
LISON.

joselito bortolotto disse...

Bem, entretanto o advogado ainda cometeu o erro de não separar corretamente as palavras, então, é imperdoável ...ou não.

Fernandez disse...

Olá Jô querida!
Boa presença de espírito... rsrsrs... só que brincar com um "esselentíssimo" pode ser perigoso. ;-) rs
Beijos, Fê.

Tia Bláblá disse...

kkk...muito bom, realmente devemos prestar atenção as palavras...gostaria de trocar banners com vc, o que acha?! khelenoliveira@yahoo.com.br

Chêro e ótimo fds.

Valéria Braz disse...

Muito boa.... tô aqui rindo! Josy meu pai era advogado, e embora não exercesse a profissão vivia nos brindando com estas "dupla interpretação".....
beijo no coração

Postar um comentário