15 setembro 2010

Esmaltes especiais para alérgicas

Dos nacionais aos importados, é possível driblar o problema com bons produtos. Reações alérgicas nas pálpebras e no pescoço podem ser mais graves e inconvenientes do que se imagina. Nesses locais, a intolerância à substâncias existentes nos esmaltes se manifestam com maior frequência.
 
Os componentes Formaldeído e Tolueno são os grandes “vilões” químicos escondidos nos vidrinhos. Segundo a dermatologista Juliana Lucas de Andrade, geralmente a alergia ocorre por sensibilização, ou seja, após muitos anos de uso do esmalte. "A cada contato a substância vai 'sensibilizando' o organismo, e ele produz anticorpos que podem gerar a alergia depois de algum tempo”, explica.
 
A dermatite de contato (como é chamada a alergia causada pelo esmalte) não tem cura, mas pode ser controlada com visitas frequentes ao dermatologista e pomadas e cremes prescritos. “Mas se a paciente voltar a usar esmaltes com essas substâncias, o quadro se repete” alerta a Dra. Juliana Lucas.
 
Mercado nacional oferece variedade em esmaltes para pessoas alérgicas, marcas com preços acessíveis e encontradas facilmente no mercado brasileiro oferecem produtos para as alérgicas, como Colorama, Artdeco, Revlon e Risqué. Para quem pode gastar um pouco mais com beleza, fórmulas importadas não faltam. As marcas francesas não podem mais [por lei] colocar em seus esmaltes as substâncias que dão alergia, e as americanas seguiram a mesma tendência. Com isso, um leque enorme se abriu e a variedade de cores atualmente é a mesma pra todo mundo. A Chanel e Essie, são as mais usadas, antes disso, mas precisamente nos saudosos anos 90 só existiam (ao menos por aqui) a  Almay e Clinique.
 
Ao primeiro sinal de alergia nos locais citados, não demore para consultar um médico, pois as lesões crônicas podem evoluir para infecções graves. E uma vez diagnosticada a dermatite, é importante lembrar: o uso de esmaltes comuns deve ser suspenso para sempre.

Na hora de comprar esmaltes especiais, fique de olho no rótulo e fuja dos componentes alérgicos – o dermatologista poderá orientar individualmente e apontar quais são os agentes inadequados para cada pessoa.

Fonte: http:delas.ig.com.br/beleza / Jana Rosa
Foto: Getty Images

2 comentários:

linkpremiadoblog disse...

Seu link já foi publicado!
Atenciosamente.
Antoani/Equipe Link Premiado
http://www.linkpremiado.com.br

Jackie Freitas disse...

Josy, minha linda!
Não sabia disso! Hoje temos tantos estudos e técnicas, que fica mais fácil desenvolver os produtos de acordo com o perfil de cada um.
Grande beijo,
Jackie

Postar um comentário